Home

Quem somos

Viagens

Galeria de Imagens

Mapas

Fale Conosco

Dicas de Viagem

Manutençãoe Segurança

 

 

VIAGEM DE PAULO AFONSO A RIACHO DE SANTANA – BAHIA

Por Sant Clair com moto Intruder Suzuki.

Início em 08 de Janeiro e retorno em 16 de janeiro de 2010.

58 anos depois...

Tenho uma moto Intruder da Suzuki com a qual viajo para vários eventos realizados nas cidades próximas de Paulo Afonso, norte da Bahia, que faz fronteira com os estados de Pernambuco, Alagoas e Sergipe. São cidades com distância entre 60 a 250 km em média.
Aproveitando este momento em que tenho viajado para os encontros motociclísticos (moto fest) nestas localidades próximas, resolvi enfrentar um desafio maior e realizar uma viagem pretendida desde menino, que era visitar a cidade onde nasci, rever e conhecer parentes. Programei-me para realizar esta viagem no mês de Janeiro, no período do recesso escolar, sou professor e este seria o momento adequado.

Coloquei o desafio para os colegas do nosso Águia Negra Moto Grupo e o professor João Alexandre topou me acompanhar. Esta programação aconteceu no mês de Junho e a partir de então fiz todo o planejamento da viagem, mapa, contato com os colegas dos moto clubes das cidades em que iríamos passar, quilometragem, etc.

No dia 8 de Janeiro, sexta-feira, amarrei a mochila na Intruder, o alforje para ferramentas que foi presente do motociclista Torquato do Cavalo Doido Moto Clube de Paulo Afonso, colei os adesivos da BAMOTOS, concessionária SUZUKI em Paulo Afonso, que colaborou com este projeto (foto01) e às 08h30min passei na casa de João Alexandre, que me aguardava com a sua moto Fazer. Saímos para a tão desejada viagem (foto02). O dia estava nublado, muitas nuvens anunciando chuva, mas, não choveu, e foi bom para a viagem neste dia, sem o intenso calor conjugado ao sol muito quente que faz nesta região do nordeste e principalmente no verão. Seguimos viagem com programação para pernoitarmos na cidade de Milagres distante 495 km de Paulo Afonso (foto03) (foto04).

Passamos pela localidade chamada Jorrinho onde o banho com águas termais é bastante procurado pelos turistas.
A Estância Hidromineral do Jorrinho está situada no Município de Tucano. A água do Poço Caldas do Jorro, é surgente, limpa, abundante, com grande pressão e desprendimento de gases espontâneos, dissolvidos no volume de água termal, a uma temperatura de 48 graus. Potável sob o ponto de vista químico. Segundo o Código de Águas Minerais, trata-se de uma Água Mineral Natural - Alcalina Bicabornada Hiper Termal. Indicado para a cura de doenças alérgicas, dermatoses reumáticas, gastro intestinais, dispepsias, gastrites, colites, prisão de ventre, doenças de fígado e dos rins, manifestações úricas, acne-furunculose e equisemas parasitosas da pele.
Fica próximo a Estância Hidromineral do Poço Caldas do Jorro onde se afirma que é a melhor fonte de água do Brasil e comparável às melhores do mundo, tal como, Vichy, na França, cuja temperatura é de apenas 36 graus. (foto04a)

Ás 12h30min paramos na cidade de Araci para almoçarmos. Descansamos um pouco e recomeçamos a viagem. Próxima parada em Santa Bárbara para beber água e fazer alongamento. O clima estava bom, nublado até então. Neste local os garotos estavam curiosos com as motos e a nossa vestimenta (foto4b). Vestidos com toda a proteção necessária para uma viagem de moto. Pedras lançadas por carros que ultrapassam, besouros, chuva e todas as intempéries que surgem numa estrada. O tráfego até então estava tranqüilo, poucos carros trafegando, sem problemas de trânsito. Somente uma parada antes de Santa Bárbara em um trecho em que estavam asfaltando a rodovia (foto05).

Ao chegarmos a Feira de Santana, a maior cidade do interior do estado e o maior elo entre o norte e o nordeste, com 584.497 habitantes (Censo de julho de 2006), pegamos a BR 116 no sentido de Milagres foi quando a situação mudou. A rodovia BR 116 é uma estrada que liga norte e sul do país com um tráfego muito intenso onde comboios de caminhões e carretas transportando todo tipo de carga e mais automóveis, ônibus onde a verdadeira guerra do trânsito ali acontece muitas vezes de forma irresponsável e muita loucura nas ultrapassagens sem respeitar motociclista e carros menores. Com registro de acidentes todos os dias. Claro que não são todos os motoristas imprudentes, mas sempre tem alguns que jogam pesado, e saia de baixo. A viagem ficou muita tensa e preocupante. Em determinado trecho desta rodovia, uma carreta ficou atrás de mim, e buzinava e ficando dando freios com o objetivo de me assustar, sem necessidade de tal atitude porque o tráfego estava em fila e não podia ultrapassar, o jeito foi passar para o acostamento, deixar ele ficar na minha frente e seguir atrás do mesmo. Quanta estupidez! Um motorista inexperiente ficaria nervoso numa situação desta e poderia se acidentar.

Paramos para relaxar e esticar as pernas em um local próximo a 11 km de Paraguaçu, chamado Volta da Serra onde apreciamos o artesanato exposto em várias barracas na beira da estrada. Paisagem bonita. Boa estrada.(foto06) (foto07) (foto08)(foto09)

Continua na Página 2

Todos os direitos reservados